Wednesday, February 2, 2011

Frida on her love for Benny and her children

Anni-Frid Lyngstad about her struggle with hopelessness and depressions:
BENNY GIVES ME COURAGE IN MY DARKEST MOMENTS
Article originally published in the Swedish magazine Min Värld, in 1973


- Last summer it was something began to happen with me, says Anni-Frid Lyngstad. I had a new inner security, something I've been missing before. A new harmony in my existance.
- I had taken the whole summer off and my two children were here with me. I was able to relax and felt very good. And the whole time my relationship with Benny was also very nice and harmonic.
- Then, when I started to work in the fall - on a tour with Roffe Berg - then I suddenly felt the change. Suddenly it was such a joy to work. I dared to let go like never before. I felt more free and more secure.

• Frida has had some success lately, both as a solo artist and in a group together with her fiancé Benny Andersson and their best friends Agnetha Fältskog and Björn Ulvaeus. Just recently they had a number one hit on Europatoppen.
Anni-Frid has had the chance to travel around in the world. This winter she sang in Japan. Recently she participated in a song festival in Venezuela for a week. She has done television in Austria.
- In some way it feels much more fun to sing this year, says Frida. And what I'm most pleased about is that it's going so well for the four of us. I like it best when I sing together with the others. Then I get a feeling of security from them. We have a security among us. I don't have to feel alone, little, scared and nervous. And it's wonderful to work together with Benny.
- Benny means so much to me, both in private and in my work. He is always there for me. He gives me strength.
- I used to think it was difficult to work and live together. That it would make you tired of each other when you're together all the time. But now, when we are more settled in our relationship and we feel safe with each other, it's just comfortable.
- Benny and I are quite different, and naturally there has been conflicts and missunderstandings sometimes. Benny is more outgoing, happy and positive. I'm more of a serious kind of person.
- I'm sensitive and can get depressed, fall into dark periods when everything feels difficult and insurmountable. Last spring, for example, I was having a time like that. One thinks everything is pointless and boring. You want to reinvent yourself. Maybe change what you are doing. Sometimes I have even thought about giving up the singing. I've been thinking "What am I doing"?
- During times like that Benny is always there for me and he gives me new courage. He won't accept that I let myself fall down into darkness and despair, instead he makes me do something. And I have become much move even tempered now, calmer.
- Benny has a lot of patience with me, and with everything. He is warm and tender. I can talk with him about anything, I don't have to keep feeling bottled up inside. When you feel that someone like Benny cares so much for you - then it becomes an enormous strength. It makes you strong. And safe.
- I could never live on my own. I have a very big need to live together with someone. Before I met Benny - after I left my old life in Eskilstuna - I was alone for quite a while. It was horrible! I could never stand to go through that again.
- The most important thing for me is together with someone and make it work. The career comes second.

• Anni-Frid has been married before and has two children, Hans, 10 years old and Lotta, 6 years old. They mostly live with their father in Eskilstuna, but regularly comes to visit Anni-Frid and Benny.
- Being together with my children is also very important to me, says Anni-Frid. If I didn't have the children, my life would seem empty! Benny and the children are the best I have.
- I have a very good relationship with my children. It's very good when you can have that arrangement after a divorce. It has never been a problem for us. Never any conflicts or a tug-of-war over the children. We have arranged it the way we both feel is the best for the children. And now they are old enough to understand how it works.
- Sometimes they can be with me for weeks. It's good for their father to get some rest every now and then, since he has them most of the time. Naturally, I have missed them terribly sometimes, but we do have each other. We talk to each other over the phone several times a week. It's such a nice feeling when I pick up the phone and hear "Hi, it's Hans, how are you?". They tell me about everything, their likes and dislikes. About when they recently had the chicken pox. How Hans is doing in school. He is in the fourth grade now. I like it when they turn to me, I enjoy giving them advice and help.

• The children often comes and visit Anni-Frid and Benny at their house in Vallentuna, where they moved about a year ago. There the children have their own room. Sometimes during the holidays both Anni-Frid's two children and Benny's two come at the same time. That makes for a lively time in the house.
- It's wonderful to live outside of the city, says Anni-Frid. We have the woods just around the corner. It's everything we dreamed it would be. We often take long walks and go skiing when there's snow. It's such a difference to the small city apartment and the air is so much cleaner.
- Last summer the children spent a lot of time here with me. Hans went to camp for a while, but Lotta was here all summer. We spent almost all of our time at the local swimmingpool, swimming and sunbathing.
- Benny and I don't plan on having any more children, we already have four together. But I guess you never know.
- We are still working on the house. There is still a lot to be done. It takes time to get a house in order. We have done a lot of the work ourselves. We did the new upholstery on the couches together and I have been sewing curtains and covers for the furniture.
- I enjoy doing things around the house. It's mostly me who does the cooking. I like experimenting. Benny is not so fond of cooking, but he doesn't mind cleaning. We live like most families in our spare time. We watch TV, talk, read, take walks with our dog. I draw and paint and I enjoy sewing. I have always liked that. Last year I went through Tillskärarakademien to learn how sew professionally.
- We have discussed getting married. But we haven't - as strange as it may sound - had the time to do it yet! Mainly because we have decided that once we do get married we will have a three day long wedding party! We will invite all our friends and have a great time. The ceremony itself is really not that important to us, but we want that as well. We do want a church wedding and I want to wear a long, white dress.
- We talk a lot about music at our home of course. It's both a hobby and our profession. Lately the four of us, Benny and I and Björn and Agnetha, have spent almost all our time together. Especially since we are neighbours here in Vallentuna now. And it's working out great. The first time when we worked together it became quite heated, it was on a restaurant tour a couple of years ago. Back then we didn't know each other that well. But now we have learned to discuss without any hard words among us.
- We really ought to get a group name. Right now we just use our names, but "Björn", "Agnetha" and "Frida" are difficult to pronounce abroad. Right now we are working on an album in English together. And this spring there will be a TV-show and a radio show where we will be hosting. During summer we will go on tour in the folkparks for three months. But it will only be Friday, Saturday and Sunday. Benny and Björn are working as producers during the normal weekdays. I plan to have some time off and I think the children will come and visit me again.

♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥~♥

Anni-Frid Lyngstad a respeito de sua luta contra o desespero e contra as depressões:
BENNY DÁ-ME CORAGEM EM MEUS MAIS SOMBRIOS MOMENTOS
Artigo originalmente publicado na revista sueca Min Värld, em 1973

- Verão passado, algo começou a acontecer comigo, diz Anni-Frid Lyngstad. Senti uma nova segurança interior, algo de que eu havia sentido falta, até então. Senti uma nova harmonia em minha existência.
- Eu estava passando o verão fora e meus dois filhos estavam comigo. Fui capaz de relaxar e me senti bastante segura. Além disso, meu relacionamento com Benny foi muito agradável e harmonioso.
- Então, quando comecei a trabalhar, no outono - em uma turnê com Roffe Berg -, senti, repentinamente, a mudança. Senti o quão prazeroso era trabalhar e me soltei como jamais tinha sido capaz antes. Senti-me mais livre e mais segura também.

• Ultimamente, Frida tem feito considerável sucesso, tanto como cantora solo quanto como membro de um grupo, ao lado de seu noivo, Benny Andersson, e de seus melhores amigos, Agnetha Fältskog e Björn Ulvaeus. Recentemente, a banda teve um hit em primeiro lugar no Europatoppen.
Anni-Frid tem tido a oportunidade de viajar ao redor do mundo. Neste inverno, por exemplo, ela cantou no Japão; mais tarde, participou por uma semana de um festival de música na Venezuela; e, atualmente, tem participado de programas de TV na Áustria.
- De certa forma, este ano tem sido mais divertido cantar, diz Frida. E o que mais me agrada é que isso tem sido bom para nós quatro. Gosto mais de cantar, quando posso fazer isso com os outros, pois deles advém uma sensação de segurança, a qual é comum entre nós. Dessa forma, não preciso me sentir sozinha, diminuída, amedrontada ou nervosa. Sem contar que é maravilhoso trabalhar com Benny.
- Benny significa muitíssimo para mim, tanto em minha vida privada quanto em meu trabalho. Ele sempre me apoia, dando-me força.
- Eu costumava pensar que fosse difícil trabalhar e viver juntos; que isso fizesse com que um se cansasse do outro, por estar o tempo todo ao lado do mesmo. Agora que nosso relacionamento está mais estável e que nos sentimos seguros juntos, contudo, essa situação é simplesmente confortável.
- Benny e eu somos muito diferentes e, por consequência, há conflitos e desentendimentos entre nós, às vezes. Benny é mais extrovertido, mais feliz e mais otimista, enquanto eu sou um tipo mais sério de pessoa.
- Sou sensível e posso me deprimir, passando por períodos sombrios, nos quais tudo parece difícil e intransponível. Primavera passada, por exemplo, experimentei um momento desses, em que as coisas me pareciam inúteis e tediosas. Nessas horas, você tem vontade de se reinventar, de mudar, talvez, aquilo que está fazendo. Às vezes, eu chegava até a pensar em desistir de cantar. Indagava a mim mesma, "O que eu estou fazendo?".
- É justamente durante esses períodos que Benny me apoia e renova minha coragem. Ele não aceita me ver entregue à escuridão e ao desespero, estimulando-me a me ocupar de alguma atividade. Com essa ajuda, tenho me tornado muito mais equilibrada, muito mais calma.
- Benny tem muitíssima paciência em relação a mim e a respeito de tudo. Ele é muito caloroso e sensível. E, assim, posso conversar sobre qualquer assunto, sem reservas. Quando você sente que há alguém que se importa tanto com seu bem-estar, esse sentimento transforma-se numa enorme força, tornando-o forte e seguro.
- Eu jamais poderia morar sozinha, pois sinto uma grande necessidade de viver ao lado de outra pessoa. Antes de conhecer Benny - após deixar minha antiga vida em Eskilstuna -, fiquei sozinha por certo tempo, o que foi horrível! Jamais poderia passar por isso novamente.
- O mais importante, para mim, é estar junto de alguém e fazer com que essa relação dê certo. A carreira vem em segundo lugar.

• Anni-Frid foi casada antes e teve dois filhos, Hans, de 10 anos de idade, e Lotta, de 6. Ainda que as duas crianças passem a maior parte do tempo com seu pai, em Eskilstuna, visitam Anni-Frid e Benny com regularidade.
- Estar junto de meus filhos é tambem muito importante para mim, diz Frida. Se eu não tivesse minhas crianças, minha vida seria vazia! Benny e meus filhos são o melhor que tenho.
- Possuo um relacionamento muito bom com meus pequenos. É ótimo ter tudo devidamente arranjado após um divórcio, o que significa que nunca tivemos problemas a respeito dessa questão. Jamais quaisquer conflitos ou um cabo-de-guerra existiram por conta das crianças. Nós ajeitamos a situação segundo a maneira que considero mais adequada para nossos filhos. E, agora, os dois têm idade suficiente para compreender o que acontece a sua volta.
- Às vezes, eles podem ficar comigo por semanas, o que é bom para o descanso de seu pai, que cuida das crianças a maior parte do tempo. Há momentos, é claro, em que sinto uma falta terrível de meus filhos, mas, afinal, nós temos uns aos outros. Telefonamo-nos várias vezes por semana. Sinto algo tão bonito, quando atendo o telefone e ouço "Oi, aqui é o Hans, tudo bem?". As crianças conversam comigo a respeito de tudo, como, por exemplo, daquilo de que gostam e daquilo de que não gostam; da catapora que pegaram recentemente; e de como Hans está indo na escola, onde ele cursa a quarta série. Aprecio os momentos em que eles se voltam para mim, pois gosto de lhes dar conselhos e de lhes dar ajuda.

• As crianças com frequência visitam a casa de Benny e Anni-Frid, em Vallentuna, para a qual o casal se mudou, há cerca de um ano. Ali, Hans e Lotta têm seu próprio quarto. Em certas ocasiões, durante as férias de verão, tanto os dois filhos de Frida quanto os dois de Benny chegam a casa ao mesmo tempo, tornando-a animada.
- É maravilhoso viver fora da cidade, diz Anni-Frid. Temos a floresta ao virar a esquina. Isso é tudo com o que sonhamos. Frequentemente, fazemos longas caminhadas e esquiamos, quando há neve. Há uma grande diferença daqui em relação ao pequeno apartamento de cidade, em que vivemos, sem contar que o ar é bem mais puro.
- Verão passado, as crianças passaram bastante tempo aqui comigo. Hans acampou por um certo período, mas Lotta permaneceu aqui a estação toda. Gastamos quase o verão todo na piscina local, nadando e tomando banho de sol.
- Benny e eu não planejamos ter mais filhos, desde que já temos quatro, no total; mas acredito que, em relação a isso, você jamais pode estar certo.
- Ainda estamos trabalhando em nossa casa, pois há muito a ser feito. De fato, demora um pouco deixar uma casa em ordem. Muito do trabalho tem sido realizado por nós mesmos, que fizemos juntos o novo estofamento do sofá, por exemplo. Agora, estou costurando as cortinas e as capas dos movéis.    
- Gosto de fazer coisas ao redor da casa. Sou eu quem mais cozinho; gosto de experimentar. Benny, por outro lado, não se diverte muito ao cozinhar, mas não se importa com a faxina. Em nosso tempo livre, vivemos como a maioria das famílias: assistimos à tv, conversamos, lemos, caminhamos com nosso cachorro. Gosto de desenhar e de pintar, bem como de costurar, atividades que sempre me agradaram. Ano passado, estudei na Tillskärarakademien (em português, algo equivalente a "Academia de Corte e Costura"), a fim de aprender a costurar profissionalmente.
- Temos discutido nosso casamento, mas - por mais estranho que isso possa parecer -, ainda não tivemos tempo para realizá-lo! Sobretudo pelo fato de que, uma vez decididos a nos casar, desejamos fazer uma longa festa de três dias de duração! Queremos convidar todos os nossos amigos e queremos nos divertir. A cerimônia, em si, na realidade, não é de extrema importância para nós, mas, ainda assim, desejamos efetuá-la. Um casamento na igreja é aquilo que almejamos, bem como eu planejo vestir um longo vestido branco de noiva.
- Obviamente, falamos muito sobre música em nosso lar, já que esse assunto diz respeito ao nosso trabalho, além de ser um de nossos hobbies. Nos últimos tempos, eu, Benny, Björn e Agnetha temos passado quase o tempo inteiro juntos, especialmente desde que nos tornamos vizinhos aqui, em Vallentuna. E é ótimo trabalhar em conjunto. A ocasião foi bastante quente, no entanto, quando, anos atrás, estivemos juntos pela primeira vez, num restaurante, durante uma turnê. O fato é que pouco nos conhecíamos, de maneira que, agora, conseguimos discutir sem o uso de quaisquer palavras duras entre nós.
- Deveríamos, realmente, escolher um nome para o nosso grupo. No momento, fazemos uso somente de nossos nomes, mas "Björn", "Agnetha" e "Frida" são de pronúncia difícil para estrangeiros. Agora, estamos trabalhando em conjunto em um álbum em inglês. E, nesta primavera, haverá um programa de TV e outro de rádio em que nos apresentaremos; já no verão, vamos viajar em turnê pelos folkparks por três meses; essas turnês, contudo, só ocorrerão na sexta, no sábado e no domingo. Atualmente, Benny e Björn estão trabalhando como produtores nos dias normais da semana; eu, por outro lado, planejo passar certo tempo fora e acredito que as crianças venham me visitar novamente.

Text in English from Mikory's ABBA-blog

2 comments:

  1. Muito legal!
    Obrigada :)

    Beijos

    ReplyDelete
  2. Benny na faxina... *-*
    E sempre gostei do fato de Frida gostar de desenhar como eu... hihi

    Beijos

    ReplyDelete